voltar

TIPOS DE CACHAÇA

A Cachaça Matriarca não abre mão de sua produção Artesanal, por isso citamos algumas diferenças entre Cachaça Industrial e Artesanal.

Cachaça Artesanal

Plantações próprias, sem agrotóxicos, colheita manual, sem uso de queimadas.
Fermentação Natural

Cachaça Industrial

Grandes culturas, utilização de agroquímicos, colheita mecanizada e uso esporádico de queima da palhada.
Fermentação adicionada de produtos quimicamente sintetizados.

Cachaça Matriarca crescendo com o Brasil desde 19....

O mercado brasileiro de cachaça manteve o ritmo de crescimento constante dos últimos anos. O Brasil conta hoje com um importante mercado de destilados, liderado, é claro, pela bebida genuinamente nacional: a cachaça, que representa cerca de 80% do segmento. O consumo anual de destilados no País é de cerca de 1,8 bilhão de litros e o faturamento chega a US$4 bilhões, metade do total do segmento. A outra fatia do bolo é dividida pelos demais destilados: conhaque, uísque, vodca, rum, gim, vermute e licores.

A média de crescimento desse mercado vem se mantendo em torno de 10% ao ano, desde a década de 90. Em 1980, o consumo nacional per capita foi da ordem de 4,8 litros; em 1990 subiu para 7,0 litros; em 2000, chegou a 11,0 litros; havendo estimativas de que em 2015 alcance a marca de 15,0 litros anuais por consumidor. Alguns institutos indicam, todavia, um consumo na faixa de 5,2 litros per capita.

Curiosidades: Cachaça Matriarca – A cara do Brasil

A cachaça é o segundo produto que mais tem a cara brasileira, segundo a pesquisa de opinião do Centro de Indústria do Estado de São Paulo. A cachaça está logo após o Petróleo da Petrobrás e antes do café, que ficou com o terceiro posto. Se levarmos em conta que o petróleo e o café são produzidos em praticamente todo o mundo e a cachaça só no Brasil; podemos ver a importância da bebida para o país.

Os principais estados consumidores são: São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará, Bahia e Minas Gerais.

Produção de Cana de Açúcar

A Cachaça Matriarca utiliza-se apenas da produção de Cana-de-açúcar produzida em sua própria fazenda.

Para se ter uma ideia, a produção de cana-de-açúcar no Brasil, somente para a fabricação de cachaça, chega a 10 milhões de toneladas por ano, o equivalente a uma área plantada de 125 mil hectares. Em todo o País, cerca de 35 mil produtores são responsáveis pela fabricação e engarrafamento da bebida em um universo de mais de cinco mil marcas.

O Mercado para a Cachaça de Alambique

A Cachaça Matriarca de Alambique é produzida em escala menor, em alambiques de cobre e difere bastante da cachaça de coluna de consumo massivo, uma vez que apresenta qualidades sensoriais, organolépticas e de paladar distintas. Dos perto de 2 bilhões de litros de produção anual de cachaça, estima-se que 30% são de cachaça de alambique e 70% são de cachaça de coluna ou industrial.

Cachaça Matriarca – Produto 100% Brasileiro

O Decreto número 4.062 de 21/12/2001, define e protege as expressões “Cachaça”, “Brasil”, “Cachaça do Brasil “ e “Caipirinha”, como de “uso restrito aos produtores estabelecidos no País”.

Abaixo temos a definição legal da cachaça

A cachaça é a denominação típica e exclusiva da aguardente de cana produzida no Brasil, com graduação alcoólica de 38 a 48% em volume, a 20 graus Celsius, obtida pela destilação do mosto fermentado de cana-de-açúcar com características sensoriais peculiares, podendo ser adicionada de açúcares até seis gramas por litro, expressos em sacarose. (DECRETO nº 4.851, DE 02.10.2003).

A Cachaça Matriarca possui um Teor Alcoólico de 42%

Tendências no padrão de consumo - Cachaça Matriarca é sinônimo de qualidade no mercado.

O consumidor das classes A e B ou descobriram a cachaça como produto de qualidade, ou passaram a assumir a adoção ao consumo da bebida, antes tratada como direcionada somente às classes menos favorecidas.

Com um produto de melhor qualidade, segundo controles rígidos que conferem selos de qualificação, a cachaça buscou também melhoria na imagem percebida com a utilização de embalagens diferenciadas.

A formação de confrarias, assim como o surgimento de profissional especializado no tema (cachacier), são fortes tendências apontadas. A primeira vai ao encontro da tendência hedonista dos consumidores; a segunda atende à necessidade de um público mais exigente e requintado e do próprio canal de distribuição, que precisa de pessoas capacitadas e especializadas na avaliação e indicação dos produtos.

Turismo Rural - Visite nosso Alambique e conheça nosso jeito especial de produzir cachaça.

O turismo rural é relativamente novo no país, fruto de uma tendência recente de “retorno às origens” e da busca de valores, costumes, tradições e vivências simples que foram sendo esquecidos ou substituídos pela pressão da tecnologia e pela competitividade nas grandes cidades.

Essa atividade tem crescido, tendo não apenas nos turistas o principal vetor; a expansão é fruto da necessidade do produtor rural diversificar sua fonte de renda e agregar valor aos seus produtos. Ao atender a essa demanda de mercado, a atividade traz oportunidades e benefícios diretos aos agentes envolvidos na cadeia de turismo, e também a outros agentes que oferecem produtos e serviços que adicionam valor à experiência do turista. Nesse cenário, a cachaça enquadra-se naturalmente. Além do produto em si, que pode ser consumido in loco, levado para ser consumido posteriormente ou comprado como um presente, o próprio ambiente propicia uma experiência diferenciada ao turista (a fazenda, o alambique, o acompanhamento). do processo produtivo e assim por diante).

Fontes: CBRC – Centro Brasileiro de Referencia da Cachaça - Revista indústria de Bebidas
AMPAQ. - Pesquisas SEBRAE
Foto da Fazenda
Foto da Fazenda
Foto do Alambique
Foto do Alambique
Fazenda no Google Maps
Fazenda no Google Maps
clique aqui para ampliar o mapa

Rodovia Ba 290, km 53 Caravelas / Medeiros Neto – Bahia – Brasil – CEP 45990-000